Resenha de “O Mar de Monstros”

Por Victor Hugo

As continuações sempre são melhores para mim, não há aquela “preocupação” em  apresentar os personagens principais, uma vez que todos já são conhecidos. Assim a história já pode começar direto na ação e, a continuação das aventuras de Percy Jackson (iniciada em em O Ladrão de Raios) começa dessa maneira, mantendo  nível de ação até a última página do livro.

Em O Mar de Monstros, Rick Riordan faz várias referências a personagens mitológicos como Tântalo, Caríbidis, Circe, Polifemo entre outros, e o autor adapta todos os personagens mitológicos no presente de maneira muito interessante.

Nesse capítulo, Thalia, a árvore que protege o Acampamento Meio-Sangue e reforça suas defesas foi envenenada e graças a isso Quíron é demitido e quem assume o cargo de diretor de atividades do Acampamento é Tântalo, o espírito dos campos de punição, condenando à fome e à sede por toda a eternidade.

A solução para o envenenamento de Thalia é o Velocino de Ouro, que foi descoberto por Grover, quando este estava em sua jornada em busca de Pan. Assim, Percy e sua amiga Annabeth Chase, filha da deusa Atena, precisam salvar o amigo sátiro que está como prisioneiro de um ciclope malvado e resgatar o Velocino.

Em pela viagem Percy e seus amigos cruzam como vários personagens mitológicos e algumas divindades, como Hermes, além de descobrir que seu novo amigo Tyson é seu meio irmão e um ciclope – já que os ciclopes são filhos de Poseidon com espíritos da natureza.

Riordan faz com este capítulo das aventuras de Percy se torne a sua Odisséia, uma vez que é recheado de referências a obra de Homero, principalmente com relação ao encontro com Circe, que na obra de Riordan é dona de um spa na ilha onde transforma os homens em porquinhos da Índia. O mais engraçado que ao ler esta passagem no livro, veio a mente a imagem de Tyra Banks, a apresentadora do America’s Nest Top Model como a feiticeira Circe, principalmente no seu tratamento com Annabeth.

O livro consegue manter o mesmo nível do primeiro, mas tenho tendência a preferir as continuações como mencionei no início do artigo. O Mar de Monstros consegue manter a ação em ritmo frenético em alguns capítulos e  o único problema é o livro é ser menor, quando comparado ao Ladrão de Raios.

Vale mencionar que o final do livro é surpreendente, na última linha (não é último capítulo, nem último parágrafo, é última linha!) temos uma revelação bombástica e só teremos os desdobramentos dela no terceiro livro, A Maldição do Titã. Os fãs curiosos e ansiosos irão roer as unhas com a espera.

Fonte: Ambrosia

0 Responses to “Resenha de “O Mar de Monstros””



  1. Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s





%d blogueiros gostam disto: